Mentoplastia e Aumento Mandibular

Marque sua consulta com
Dr. Spíndola.

A cirurgia plástica requisitada pelos pacientes que querem deixar as mandíbulas anguladas e o rosto com uma clara definição dos contornos é chamada de mentoplastia de aumento ou cirurgia plástica de aumento mandibular.

 

O procedimento inclui a colocação de implantes ou preenchedores, que ajudam a esculpir os ângulos da face e torná-la harmoniosa.

 

Mas quando esta cirurgia é recomendada?

 

A indicação expressa para o procedimento precisa ser dada pelo cirurgião plástico, depois de uma avaliação clínica e comportamental, em consulta médica.

 

Os casos mais comuns são de pacientes que sentem um grande incômodo por ter o queixo pequeno ou uma mandíbula pouco marcada. O aumento mandibular traz equilíbrio à estrutura do rosto.

 

‘Mento’ significa queixo e, de uma maneira geral, pessoas que buscam a aumento mandibular tem o queixo rebaixado. Um ícone com esta aparência foi o cantor Noel Rosa.

 

Para fazer o aumento mandibular, o paciente precisa ter atingido a maturidade dos tecidos, músculos e ossos; o que acontece geralmente no final da adolescência.

 

O aumento mandibular também pode atender quem já teve o rosto angulado e, com o passar dos anos, perdeu o aspecto mais marcado da mandíbula.

 

Por conta de o queixo ser uma característica marcante do rosto, é comum ver pessoas que sofrem com essa perda, o que pode afetá-las emocionalmente. Com a idade, a aumento mandibular também faz as pessoas buscarem os consultórios médicos e a cirurgia plástica.

 

Como o queixo ganha volume?

 

O cirurgião realiza o aumento da mandíbula com implantes especiais de material sintético ou biológico, assim como pode optar por preenchimento com gordura, silicone ou até enxertos ósseos.

 

De forma geral, os implantes faciais são feitos a partir de materiais biocompatíveis, ou seja, são materiais que cumprem rigorosas exigências físicas e químicas. 

 

Para o aumento mandibular, estas próteses podem melhorar a estrutura física do rosto e ter o tipo, tamanho e precisão moldadas a partir da face do paciente.

 

Todas as características são avaliadas minuciosamente pelo cirurgião plástico, assim como a determinação de qual material deve ser utilizado no aumento mandibular.

 

Os tipos de implante se classificam pela funcionalidade de cada material e técnica cirúrgica empregada para inseri-los.

 

  • Implantes do mento/queixo: são os que aumentam a projeção dessa área e podem projetá-la de uma maneira mais equilibrada em relação a testa e o terço médio da face.

 

O equilíbrio e a expressão serão estudadas pelo médico para eliminar a impressão de que o queixo ‘para dentro’ é só um ‘prolongamento’ do pescoço.

 

  • Implante de mandíbula: neste caso os materiais ajudam a aumentar a largura do terço médio da face. Para quem não tem uma estrutura mandibular muito marcada (angulosa), o queixo e o pescoço também tendem a parecer um prolongamento um do outro. Este implante pode ajudar a restaurar o equilíbrio da face, criando um desenho mais ‘marcado’ ao rosto.  

 

  • Implantes de bochecha: aumentam as maçãs do rosto, criam volume e projetam essa parte da face. Também podem ser utilizados em cirurgias plásticas ou até como adjuvantes ao procedimento de implante de queixo ou de mandíbula, trazendo mais harmonia para o desenho do rosto.   

Beleza é sinal de simetria?

Não. Ninguém tem o rosto totalmente simétrico. É muito importante lembrar que a beleza não está ligada a ‘lados iguais’ ou medidas simétricas.

 

Cada procedimento cirúrgico precisa ser estudado, apesar de nossa sociedade cultuar modelos de beleza com essa característica do rosto angulado, como Angelina Jolie, George Clooney, entre outros nomes famosos.

 

O desenho do nariz, boca, cor dos olhos e bochechas não é necessariamente o que o cérebro lê como ‘bonito’.

 

A ciência já se debruçou sobre o tema e descobriu que a as distâncias entre olhos e sobrancelhas, assim como um nariz e boca harmoniosos atraem os olhares dos bebês, por exemplo. E tendemos a achar, no equilíbrio desses elementos, o que consideramos esteticamente belo.

 

Portanto: beleza pode ser entendida muito mais como uma questão de proporção e equilíbrio. Um ponto de vista. 

 

A cirurgia plástica de aumento mandibular precisa ser discutida com o cirurgião plástico, passo a passo, entendendo o que se pode esperar em termos de resultados.

 

É um procedimento que pode ter resultados muito satisfatórios, mudando a percepção que a pessoa tem dela mesma, ao olhar sua imagem no espelho!

  

No consultório, com o seu médico:

  • Compartilhe com seu médico sobre as razões que o fizeram querer fazer a cirurgia
  • Fale sobre suas expectativas quanto ao resultado pretendido
  • Entenda a avaliação que o médico fará sobre sua condição geral de saúde, assim como alergias ou outros tratamentos médicos
  • Fale claramente sobre uso contínuo de medicamentos, suplementações, vitaminas, assim como álcool, cigarro ou outras drogas
  • Cite outras cirurgias que você já tenha feito

Marque sua consulta com Dr. Spíndola.

Perguntas Frequentes

Principais dúvidas sobre os procedimentos

O aumento mandibular poderá ser feito de maneira isolada ou como complemento de outros procedimentos do contorno da face, assim como cirurgias do nariz, orelha e boca.

A mentoplastia é um procedimento cirúrgico para remodelar o queixo, que pode incluir implantes ou remodelação do próprio osso (para avançar ou recuar o mento).

O objetivo é  proporcionar equilíbrio à face, de modo a atingir proporções harmoniosas.

Depende da estratégia cirúrgica, mas são posicionadas para que fiquem discretas e na coloração da pele.

Local com sedação. 

A média de tempo de duração da cirurgia é 1h.

Para cada caso, uma abordagem. Ao buscar uma mudança na face ou nas expressões, o cirurgião plástico poderá avaliar e recomendar que o equilíbrio das características faciais envolva procedimentos secundários ou uma cirurgia do nariz, por exemplo. Esse tipo de decisão com indicação expressa do médico só acontece por conta da abordagem individualizada, que leva em conta estruturas orais, sua função e desenvolvimento. Fale abertamente sobre suas motivações que levaram à busca do procedimento. 

É preciso realizar todos os exames solicitados pelo cirurgião e informá-lo sobre todos os remédios que faz uso, de anticoncepcionais à antidepressivos, por exemplo.

A interação medicamentosa pode interferir na coagulação, se estiver tomando medicamentos à base de ácido acetilsalicílico, antigripais, inibidores de apetite, ginseng e ginkgo biloba, é necessário interromper o uso 14 dias antes da cirurgia.

Curativos e bandagens podem ser usadas na área operada, e os cuidados devem seguir rigorosamente o passo a passo explicitado por seu médico.

Em uma semana. A prática de exercícios só deve ser retomada após 21 dias, com movimentos leves. Para exercícios de “alto impacto”, o ideal será esperar 60 dias.

Marque sua consulta com Dr. Spíndola.

WhatsApp chat